Últimas

Paraíba registra média de 131 novos MEIs abertos por dia durante o mês de janeiro

 


Período que costuma simbolizar recomeços, o mês de janeiro foi bastante demandado, na Paraíba, no que diz respeito à abertura de novos negócios. É o que indica levantamento realizado pelo Sebrae, que identificou 4.079 novos registros de microempreendedor individual (MEI) no estado, nos primeiros 31 dias do ano. Ainda conforme os números, considerando o volume de novos registros, cerca de 131 novos MEIs foram abertos por dia na Paraíba durante o primeiro mês do ano.

 

Desse total, conforme o levantamento do Sebrae Paraíba, a maior parte dos novos MEIs, 1.538, foram abertos em João Pessoa, que liderou o volume de formalizações. Em seguida, aparecem as cidades de Campina Grande, com 606 novos registros, Patos, que contabilizou 202 novos MEIs, Santa Rita, com 164 formalizações, e Bayeux, que passou a contar com mais 130 microempreendedores individuais. Juntos, esses cinco municípios foram responsáveis por 64,7% de todas as formalizações verificadas no estado durante o mês de janeiro.

 

Já em relação às atividades econômicas, o levantamento do Sebrae Paraíba, realizado a partir de dados da Receita Federal, aponta o comércio varejista do vestuário e acessórios como o segmento mais procurado pelos novos MEIs durante o mês de janeiro. Segundo os números, 249 novos registros foram contabilizados nessa atividade, seguidos por 178 registros no segmento de cabeleireiro, manicure e pedicure.

 

Por sua vez, a atividade de comércio varejista de bebidas contabilizou 160 formalizações no período, seguida pelas mercearias e minimercados, que somaram 141 novos MEIs; pelas atividades de ensino, que apresentaram um incremento de 124 novos registros; e pelo segmento de promoção de vendas, que encerrou o primeiro mês de 2022 com 113 formalizações no estado.

 

Para a analista técnica do Sebrae Paraíba, Germana Espínola, os números de janeiro demonstram a importância do microempreendedor individual para a economia e o mercado de trabalho. “A maioria dos empreendedores que procuram o Sebrae colocam como motivo maior para abrir o MEI o cenário econômico, que apesar de tímido está apresentando crescimento. Além disso, muitos deles também já atuavam em alguma atividade, mas estavam na informalidade”, explicou.

 

Ainda conforme a analista, muitos potenciais empreendedores desconhecem os benefícios do MEI, como a obtenção de um CNPJ e o acesso a benefícios previdenciários. “O MEI tem um papel fundamental na economia, desde a sua formalização, que é sem burocracia, além da possibilidade de contratar um funcionário com carteira assinada, de sair da informalidade, de gerar renda e de ter uma versatilidade muito grande nas atividades. Por fim, no contexto de um índice de desemprego ainda alto, se tornar um MEI é uma das alternativas para que a pessoa não saia da economia”, acrescentou Germana Espínola.

Fonte: SEBRAE PB

Postagem Anterior Próxima Postagem