Últimas

6/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Responsive Advertisement

Mais de 400 policiais militares se recusaram a tomar a vacina contra a Covid-19, na Paraíba

 


Quase 4% dos policiais militares da Paraíba não tomaram a vacina quando chegou a vez deles no esquema da Campanha de Vacinação contra a Covid-19. De acordo com a corporação, são 410 policiais militares e os casos são tratados como recusa à primeira dose do imunizante, ao menos até um censo seja realizado para identificar o real motivo da não vacinação desses profissionais.

 

A Polícia Militar acredita que a recusa de alguns seja referente à infecção pela Covid-19 e porque alguns estavam saindo do período de quarentena. Todos esses profissionais que se recusaram a tomar a primeira da vacina receberão também orientações sobre o ato que representa a vacina para a instituição.

 

Em relação aos policiais militares vacinados, 96,19% do efetivo total da categoria está imunizado com a primeira dose da vacina contra a Covid-19, o que corresponde a um total de 10.346 policiais.

 

Pelas doses disponibilizadas pelo Governador do Estado para a Segurança Pública desde 8 de abril, 6.449 policiais militares foram vacinados. Outros 3.897 tiveram acesso às vacinas pelas prefeituras, antes da data ou paralelamente, por outros critérios, a exemplo de comorbidades.

 

A corporação vai lançar uma campanha para que haja o comparecimento de 100% na segunda dose, que deve ser concluída até outubro. O objetivo é conscientizar os policiais sobre o ato de cidadania que o gesto de vacinar demonstra, já que além das medidas pessoais, a exemplo de usar máscara e manter a higienização das mãos, a vacina é atualmente o meio mais eficaz de vencer a pandemia.

 

 

“Não queremos que nada atrapalhe o comparecimento dos policiais para receber a 2ª dose. Como vem acontecendo com a população em geral, o receio da reação à vacina que houve na 1ª dose, não pode ser obstáculo para chegarmos a imunização completa. Já lançamos o desafio para que, num processo de humanização e proximidade com nossos policiais, a Diretoria de Saúde e os comandos das unidades conversem e tirem as dúvidas para que antes de outubro tenhamos a polícia militar totalmente imunizada para proteger mais à população, como temos feito desde o primeiro dia de pandemia”, destacou o comandante-geral da PM, coronel Euller Chaves.